Quando você pensa em responsabilidade, o que de imediato vem a sua mente?  É comum receber respostas que é uma pessoa com maturidade de responder por si mesma, ser responsável. O conceito de responsabilidade vai de encontro, como aquele que é consciente dos seus próprios atos e/ou pelas ações de outros, ou seja, esta ação pode se estender por vários núcleos para além do individual, familiares, empresarias, nacionais e internacionais. Como seres relacionais, se faz necessário desenvolver em nossos processos de integração esta competência para a preservação e continuidade humana.

Desta forma, ter uma responsabilidade social vem de uma necessidade específica, que busca solucionar problemas advindos de questões históricas, políticas e econômicas, para o desenvolvimento de toda uma sociedade que incorporam a responsabilidade como cidadãos físicos, jurídicos nos espaços público e privado.

As empresas entram como fortes aliadas neste processo, pois tem domínios econômicos, domínio legal e domínio social, que podem e devem estimular uma sociedade mais justa e igualitária, e com isso, entram em um ponto fundamental de competitividade no mercado, agregando os stakeholders em um compromisso em melhorar os laços atuais e estar atento as gerações futuras, de clientes, fornecedores, colaboradores e investidores.  

No Brasil, o movimento de valorização da Responsabilidade Social Empresarial (RSE) ganhou força na década de 90, a partir de campanhas de cidadania vindo da população, através de ações de institutos não-governamentais e empresas que se engajaram em ações.

O principal núcleo de Responsabilidade Social Empresarial no Brasil, é o Instituto ETHOS, que promove e instrui que empresas sejam socialmente responsáveis na aplicação da gestão de seus negócios, para além do cumprimento da legislação é o estímulo na cadeia de valor, para o desenvolvimento sustentável, econômico, ambiental e social.

A norma ISSO 26000/2010, Norma Internacional de Responsabilidade Social é uma diretriz socioambiental que ampara organizações nos seus processos decisórios e de se responsabilizar pelos impactos na sociedade.

As empresas estão cada vez mais sendo analisadas por seu desempenho financeiro, qualidade e pelo seu impacto social, a RSE cada vez mais é uma exigência e um ponto fundamental de crescimento nos negócios.

Afinal, é necessário alinhar nossos avanços de produção, respeitando o planeta e amparando os impactos que causam em toda sociedade, pensando os negócios com uma gestão sustentável, de forma econômica, ambiental e social, só assim é possível o avanço de forma igualitária e justa.

No amparo das decisões socialmente sustentável, o Cubo Social entra com sua expertise com metodologias próprias afinadas em gestão de impacto, com as diretrizes que acompanham a RSE possibilitando inovação nos negócios, e desencadeando efetivamente uma gestão de responsabilidade social.

Atualmente, quais são as suas práticas socialmente responsáveis?

Escrito por: Tamara Ferreira- Partner Brasil Cubo Social

Tags: No tags

Leave a Comment