Cubo Social e The Trust for the Americas fecham parceria para impulsionar projetos sociais

Acordo vai permitir que ONGs do Brasil, Colombia e Peru tenham mentoria de start-up 

Com o intuito de fazer com que ONGs desenvolvam projetos mais profissionais e elevem o nível de maturidade, a The Trust for The Americas, membro da Organização dos Estados Americanos (OEA), fechou parceria com a start-up Cubo Social, especialista em crescimento sustentável de organizações sociais. A princípio, a mentoria será realizada em ONGs de três países: Brasil, Colômbia e Peru. Os trabalhos já iniciaram este mês com o Instituto Idear, no município de Maracanaú, no Ceará, Brasil.

No Brasil, a The Trust atua com organizações sociais em seis estados. São eles São Paulo, Paraná, Alagoas, Ceará, Brasília e Pernambuco. A entidade tem sede nos Estados Unidos (Washington D.C) e representação no Canadá e na Colômbia.

De acordo com a coordenadora nacional de Projetos da The Trust for The Americas no Brasil, Fátima Galeazzo, a parceria com o Cubo Social foi idealizada para que as ONGs possam ser empoderadas e potencializar seu impacto social. “Nos chamou muito a atenção o fato da Cubo Social utilizar a tecnologia, a inovação no processo de mentoria e, em especial, o acompanhamento de lideranças. Ficamos encantados. A parceria veio para fortalecer”, avaliou ela.

Para a fundadora do Cubo Social e doutoranda em empreendedorismo social pela USP, Valentina Coley Medrano, a start-up tem como ponto focal desenvolver maturidade das organizações baseada em três fatores de análise, que são cultura organizacional, perfil de liderança e problemáticas sociais.

“Com base nisso, o intuito é facilitar o processo de crescimento das organizações para que consigam evoluir e explorar seu pleno potencial. Nosso diferencial é que valorizamos muito a cultura organizacional de cada ONG e trazemos ferramentas para que elas possam aperfeiçoar os serviços de acordo com sua cultura”, contou Valentina.

Organizações sociais que desejam contratar os serviços do Cubo Social ou querem mais informações sobre mentoria, basta enviar um email para valentina.coley@cubosocial.org. Outros detalhes pelo site www.cubosocial.org.

The Trust

The Trust for the Americas é uma organização social americana membro da Organização dos Estados Americanos (OEA). Fundada em 1997, a organização visa promover parcerias públicas e privadas a fim de desenvolver projetos sociais e econômicos na América Latina e no Caribe. Suas iniciativas, implementadas por meio de parceria com organizações locais, buscam facilitar a criação de oportunidades econômicas, promover o acesso à inovação, à inclusão social e à boa governança. A The Trust oferece às organizações parceiras, um portfólio metodológico composto de recursos, serviços e benefícios. Já implementou projetos em 24 países e atuou com mais de 500 organizações sociais.

Visite: www.trustfortheamericas.org Facebook: The Trust for the Americas Twitter: @Trust4Americas

Para outras informações: fgaleazzo@fundacionparalasamericas.org

 

Instituto Idear, parceira da The Trust for The Americas, recebe mentoria do Cubo Social FOTO CUBO SOCIAL

 

Instituto Idear, parceira da The Trust, é a primeira ONG que recebe mentoria do Cubo Social FOTO DIVULGAÇÃO

 

Valentina Coley, CEO do Cubo Social, e equipe do Instituto Idear, do Ceará FOTO DIVULGAÇÃO

7 dicas de leitura para empreendedores sociais

Se você é um empreendedor social ou quer se tornar um, então aqui estão 7 dicas de livros que vão lhe trazer muito conhecimento e vão te ajudar a impulsionar seus projetos.

1:

 

Um mundo sem pobreza: As empresas social e o futuro do capitalismo, Muhammad Yunus.

 

O pai do empreendedorismo social escreveu vários livros, mas talvez este seja o seu trabalho mais famoso e o que ajudou a alinhar os alicerces sociais. Se você quer entender esse ramo do empreendedorismo, você definitivamente deve ter esse trabalho em sua biblioteca.

 

 

 

2:

 

In the Company of the Poor: Conversations with Dr. Paul Farmer and Fr. Gustavo Gutierrez

Este livro reflete a interseção entre as vidas, os compromissos e as estratégias de duas figuras altamente respeitadas, o Dr. Paul Farmer e o Pe. Gustavo Gutierrez. O agricultor creditou a teologia da libertação como a inspiração para o seu esforço para fazer medicina de justiça social, enquanto Gutierrez reconheceu o trabalho de Farmer como um exemplo particularmente convincente da opção para os pobres e do impacto que a teologia pode ter fora da igreja. Desenha em seus respectivos escritos, principais endereços por ambos em Notre Dame, e uma transcrição de um diálogo entre eles.

 

 

3:

 

 

Uncharitable, Dan Pallotta

Dan Pallotta, é uma especialista em filantropia que identificou os pontos que limitam seu impacto e quem agora se dedica a encontrar soluções sustentáveis ​​para problemas sociais.

 

 

 

 

4:

 

 

Conscious Capitalism, John Mackey y Raj Sisodia

O capitalismo pode ser uma força para alcançar o bem? É o que John Mackey, fundador da Whole Foods, propõe, compartilha no livro exemplos de algumas empresas que são mais do que geradores de capital e que estão produzindo um impacto positivo no meio ambiente. Definitivamente, é uma boa maneira de entender o novo rosto de algumas empresas.

 

 

 

5:

 

Lean Startups for Social Change: The Revolutionary Path to Big Impact, Michael Gelobter

O modelo “Lean Startup” ajuda os empresários a criar organizações flexíveis capazes de se adaptarem às mudanças e melhor preparadas para sobreviver aos desafios enfrentados por qualquer nova empresa. O que você pensaria se eu lhe dissesse que os mesmos princípios podem ser aplicados às organizações que geram impacto social? Saiba como usar a metodologia “lean” para resolver grandes problemas sociais. Amazon, English: Lean Startups for Social Change.

 

 

6:

 

Getting Beyond Better: How Social Entrepreneurship Works

O livro começa com uma sondagem e útil teoria do empreendedorismo social, passando pela história para iluminar o que é, como funciona e a natureza do seu papel na sociedade moderna. Os autores então estabeleceram uma estrutura para entender como os empreendedores sociais bem-sucedidos realmente vão produzir.

 

 

 

 

7:

 

The Unfinished Social EntrepreneurJonathan Lewis

O empreendedor social inacabado de Jonathan Lewis fala sobre “a alegria de justiça social de coração, de coração e feliz coração”. Como Lewis diz, este livro não é um manual passo a passo sobre como “Fazer empreendedorismo social”. Na verdade, o livro é menos um guia prático que um espiritual. Lendo as meditações de Lewis sobre questões como preparação, paixão e justiça, qualquer empresário social se sentirá confortado pelo conhecimento de que tal pioneiro da indústria lidara com os mesmos problemas espinhosos que nos mantêm acordados à noite.

 

 

 

*Por Valentina Coley Medrano

Psicóloga Social, mestre e doutoranda em empreendedorismo social pela Universidade de São Paulo. Experiência de 7 anos em projetos sociais em países como Colômbia, Chile e Brasil. e-mail: valentina.coley@cubosocial.org

ONGs podem impulsionar projetos com mentoria do “Cubo Social”

Entre os métodos, organização incentiva terceiro setor a criar plano de carreira; iniciativa atua no Brasil e em outros países da América Latina
Depois de estudarem a fundo o terceiro setor e adquirirem conhecimento prático e teórico na área, os colombianos Valentina Medrano e Felipe Naranjo fundaram o projeto Cubo Social, que visa a profissionalizar organizações sociais com grande potencial de crescimento. Lançada há cinco meses, a iniciativa capacita líderes, insere tecnologia e traça cultura organizacional de ONGs para que atuem com mais maturidade.
As parcerias do Cubo Social com projetos sociais estão sendo consolidadas no Brasil, na Colômbia e no Peru. ONGs atendidas terão a possibilidade de aperfeiçoar ou até desenvolver novos projetos e aprender técnicas de comunicação, sempre com o intuito de melhorar os serviços.
“Geralmente as organizações sociais destinam a maior parte da sua energia em transformar a realidade de uma comunidade e nem sempre preocupam-se em melhorar a capacidade da sua equipe, o que permitiria gerar ainda mais impacto”, aponta Valentina, psicóloga e doutora em empreendedorismo social pela Universidade de São Paulo (USP).
De acordo com ela, o Cubo Social traz uma proposta diferente de trabalho, com o intuito de melhorar o desenvolvimento “de dentro para fora” de uma organização, o que traz bons resultados e mais impacto social. “A nossa proposta é oferecer mentoria a partir de princípios, práticas e ferramentas que colocamos à disposição das ONGs. Com os métodos, o ambiente se torna mais colaborativo e a equipe opera de forma eficiente”, contou Valentina.
Para Felipe Naranjo, engenheiro de sistemas eletrônicos, mestrando em engenharia da computação pela USP e pesquisador do Cubo Social, a iniciativa vai ajudar ONGs a criarem uma cultura de melhoria contínua. “Em grandes companhias, há uma cultura de melhoria contínua e se entende que quanto mais capacitação tiver a equipe, maior é a probabilidade de trazerem bons produtos. Isso também pode ser aplicado em organizações sociais”, revela Naranjo.
Organizações sociais que desejam contratar os serviços do Cubo Social ou querem mais informações sobre mentoria, basta enviar um email para valentina.coley@cubosocial.org. Outros detalhes pelo site www.cubosocial.org.